terça-feira, 22 de setembro de 2009

O Estranho Caso de Benjamin Button de F. Scott Fitzgerald


F. Scott Fitzgerald teve uma actividade literária prolífica e celebrizou-se com romances como "O Grande Gatsby" e "Tender Is the Night", além de cerca de 160 contos. "O Estranho Caso de Benjamin Button" foi publicado em 1922 e foi uma das histórias fantásticas através da qual o autor recolheu o aplauso unânime da crítica. Neste conto comovente onde o humor é uma nota dominante, Fitzgerald criou a história de um homem que desafia as leis naturais da vida ao nascer velho e com o passar dos anos em vez de se tornar ainda mais idoso, assiste progressivamente ao rejuvesnecimento do seu corpo e mente até terminar a vida sob a forma de uma criança. Com setenta anos, sofre a incompreensão por parte do pai que procura por todos os meios camuflar a sua estranha aparência, esperando que a alta sociedade a que pertence feche os olhos a tão grande despropósito. Os anos vão passando, e para Benjamin crescer equivale a desenvelhecer. Quando atinge os cinquenta anos uma rapariga de vinte apaixona-se por ele e chegam a casar e a ter um filho, mas quando Benjamim se torna mais novo, com vinte anos, desapaixona-se da mulher, entretanto velha e em processo de decadência. O tempo vai passando e agora Benjamin experimenta as agruras da adolescência, as humilhações de não ser adulto até que se torna criança. Uma vida inusitada que contraria a ordem natural das coisas até ao inevitável fim.

A MINHA OPINIÃO:
Este é um conto que se lê em pouco mais de uma hora. Não é uma obra-prima mas vale pelo conceito inovador da história. Benjamin nasce velho e à medida que cresce, rejuvenesce.
Este conto faz-nos reflectir sobre a efemeridade da vida. Que não importa as circunstâncias em que nascemos, o fim é inevitável e que devemos aproveitar os todos os dias. Carpe diem!...
De realçar que existem diferenças significativas entre o filme e o conto. Neste caso, prefiro a longa-metragem.

video

6 comentários:

  1. Ola Jojo!

    Nunca tinha ouido falar neste livro, e muito menos no filme. Mas devo dizer que fiquei curiosa.
    Por isso lá vai mais um livro para a minha lista!
    A longa-metragem está muito gira.
    E tens rasão quando afirmas que Não inporta as circunstâncias em que se nasce. Pois o final é inevitavel. Por muito que não o queiramos encarar. Ou Desejar!
    Mas o que importa é quando chegar a nossa hora a sabermos aceitar.
    Sem medos.

    ResponderEliminar
  2. Oi, Jojo!

    Estou com muita vontade de assistir o esse filme. Quanto ao livro, acho que não tem versão para o Brasil :(

    bjos**

    ResponderEliminar
  3. Olá...

    Noa,
    tens razão quando dizes que devemos aceitar o fim sem medos.
    Quanto ao livro, é uma leitura agradável. Mas para mim o filme é que é deslumbrante.

    M!riam,
    Eu gostei imenso do filme. No elenco tem uma das minhas actrizes favoritas, a Cate Blanchet. Mas o mais estranho e mais cativante para mim foi ver o Brad Pitt fazer de Benjamin. De todos os filmes que vi dele, acho que é uma das suas melhores interpretações.

    Bjokinhas***

    ResponderEliminar
  4. Não li o livro, mas vi o filme e gostei imenso. Está uma história muito bem contada e envolvente!

    ResponderEliminar
  5. Bem, eu vi o filme, e quando pensei em ler o livro, disseram-me que não valia a pena, que me ia desiludir. A história é diferente do habitual e muito bonita, decidi ficar-me pelo filme.

    Acho que fiz bem então :)

    ResponderEliminar
  6. Sara:)
    Confesso que li o conto por mera curiosidade. Até porque já tinha visto o filme e adorado. Fizeste bem em não ler o livro ias como te disseram sofrer uma desilusão.

    Bjokinha*

    ResponderEliminar