sábado, 2 de junho de 2012

Sangue-do-coração de Juliet Marillier

Uma floresta assombrada. Um castelo amaldiçoado. Uma jovem que foge do seu passado e um homem que é mais do que parece ser. Uma história de amor, traição e redenção...
Whistling Tor é um lugar de segredos, uma colina arborizada e misteriosa que alberga a fortaleza deteriorada de um chefe tribal cujo nome se pronuncia no distrito em tons de repulsa e de amargura. Há uma maldição que paira sobre a família de Anluan e o seu povo; os bosques escondem uma força perigosa que pronuncia desgraças a cada sussurro.
E, no entanto, a fortaleza abandonada é um porto seguro para Caitrin, a jovem escriba inquieta que foge dos seus próprios fantasmas. Apesar do temperamento de Anluan e dos misteriosos segredos guardados nos corredores escuros, este lugar há muito temido providencia o refúgio de que ela tanto precisa.
À medida que o tempo passa, Caitrin aprende que há mais por detrás do jovem desfeito e dos estranhos membros do seu lar do que ela pensava. Poderá ser apenas através do amor e da determinação dela que a maldição será desfeita e Anluan e a sua gente libertados.

A MINHA OPINIÃO:

Sangue-do-Coração é um livro enfeitiçante que invoca a nossa infância de contos-de-fadas de encantar, de belas princesas e de bruxas más. É uma versão mais madura da Bela e o Monstro de Marillier. Apesar de ter a essência do clássico, a história é grande por mérito próprio. A autora cria uma atmosfera mágica que lembra Jane Eyre ou mesmo O Monte dos Vendavais devido a Whistling Thor, a colina que sussurra, um lugar místico e tão antigo como tempos imemoriais. O enlevo de Marillier pelas histórias tradicionais é bem vísivel, nas pequenas homenagens que ela planta ao longo dos capítulos.Adorei a introdução dos espelhos, objectos que tantas vezes surgem nos contos como poderosos, visionários ou destruidores. Caitrin é uma protagonista típica da escritora. Ela suplanta os infortúnios do seu passado e atreve-se a mostrar o caminho da esperança a Anluan. Apesar de não ter a força e a atracção de Sorcha de A Filha da Floresta, Caitrin é voluntariosa e bondosa e é impossível não torcer por ela. Anluan, o chefe tribal é, para mim, a personagem mais marcante. É jovem mas, está acabrunhado pela responsabilidade e pela solidão. A sua transformação ao longo do livro, é notável. Juliet Marillier conseguiu mais uma vez que me emocionasse com a jornada das suas personagens e que eu lesse madrugada adentro em busca de respostas. Todavia, Sangue-do-Coração não é fenomenal como Sevenwaters ou As Crónicas de Bridei. Culpo a sua previsibilidade. O ambiente continua a ser mágico, a escrita apaixonante porém, o desenlace não teve nada de inesperado, que me surpreendesse, o que faz deste livro, uma leitura menor entre o panteão das obras de Marillier. Ainda assim, é a melhor reinvenção de A Bela e o Monstro que já li e a autora é suficientemente perspicaz para nos fazer meditar sobre o preconceito e a diferença!

5/7- MUITO BOM

7 comentários:

  1. Aiiii vc nao poderia colocar dica melhor ja li alguns livros da Juliet e ela é simplesmente fascinanta.. amoooo as histórias dela, nossa! Com certeza eu quero ler esse \o

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Kézia, a Juliet é mesmo fantástica! :)

      Eliminar
  2. Tenho-o na minha pilha, à espera. Já não há de tardar muito. Depois de ter lido Sevenwaters e pelo menos parte das Crónicas de Bridei, até uma obra menor desta autora me parece mesmo muito bem. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,é uma obra menor mas, não deixa de Juliet!:) Sevenwaters e Bridei continuam a ser as minhas favoritas!

      Eliminar
  3. Adorei a sinopse e a opinião desse livro, fazendo com q eu me interesse em lê-lo. Eu ainda estou conhecendo Juliet Mariller por indicação do Fiacha, estou lendo a Filha da Floresta, e pretendo ler a série toda, pois estou adorando!!!
    Valeu a dica!

    Amanda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanda, vais adorar tanto Sevenwaters que vais querer ler os livros todos da autora!:)

      Eliminar
  4. Olá Jojo,
    A Juliet é sem sombra de dúvida uma das minhas escritoras preferidas. Ultimamente não tenho lido nada dela, e ainda nem arranjei este livro. Não fazia ideia que a história estava relacionada com A Bela e o Monstro. Tenho mesmo de o ler! :)
    Já agora, tens um selinho à tua espera no meu blog.

    ResponderEliminar