quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A estranha vida de Nobody Owens de Neil Gaiman

Nobody Owens podia ser um rapaz absolutamente normal, tirando o facto de viver num cemitério e de ter sido criado por fantasmas e almas penadas sempre guardado por Silas, o guarda solitário que não está nem morto nem vivo.
A MINHA OPINIÃO:

Será possível que um livro infanto-juvenil possa transmitir mensagens a um púbico adulto? Sim!!! Neil Gaiman é professor doutorado nesta matéria. A estranha vida de Noboby Owens é simples o suficiente para entreter um jovem e complexo o bastante para ser apreciado por um (mais) velho. Traz aquele sabor a inocência perdida mas, esqueçam as fadas, as cinderelas e os seus sapatinhos de cristal. Gaiman inicia a história com um acontecimento macabro, o assassinato de uma família. Só sobrevive Bod que foge para um cemitério e cresce educado por fantasmas e Silas, o seu padrinho bizarro e misterioso. A imaginação do autor ao conduzir a vida de uma criança entre as lápides é verdadeiramente prodigiosa. Como aprendeu a brincar? A ler? A morte é ainda um assunto tabu especialmente, para os mais novos. Neil Gaiman apresenta um livro sobre fantasmas e almas penadas que são, à semelhança, dos vivos, bons e maus e, subtilmente, introduz a ideia de que um dia todos iremos morrer. Porém, esta fatalidade não nos deve impedir de viver e ser felizes! Aliás, a morte é evocada por Bod como uma extensão da vida e não o seu término. É um tema díficil de se abordar num livro juvenil mas, Gaiman consegue-o sem nunca esquecer a moralidade e o simbolismo desejado nestes contos. Algo que fará o leitor pensar e reflectir na sua própria vida e nas suas decisões. O escritor também explica, com todas as palavras, conceitos que seriam complicados para um juvenil perceber como a ideia de dejá vu, justiça e vingança. Apesar disso, a acção é constante e as aventuras de Bod são sempre mágicas mesmo quando não têm, aparentemente, propósito para o desenrolar final.
No entanto, mesmo a minha criança interior ficou incomodada com a mãe adoptiva de Bod. É demasiado irritante, irrealisticamente protectora e incapaz de lidar com situações difíceis. Se não fosse fantasma, desmaiava a um sinal de perigo. Por outro lado, temos Liza e Lupescu, personagens femininas fortes e extraordinárias o que ainda aumentou a minha irritabilidade face à senhora-mãe fantasma.
A estranha vida de Nobody Owens não é perfeito todavia, é constituído, na sua maioria por personagens memoráveis, contém uma história deliciosa que encantará adultos quanto pequenos. 

4.5- BOM***

8 comentários:

  1. Gostei muito da tua opinião, li o livro no ano passado e também gostei bastante :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :D Obrigada José.
      O próximo livro que vou ler de Neil Gaiman é Neverwhere. .)

      Eliminar
  2. Olá,

    Nunca li o livro mas já vi comentários identicos aos teus, é caso para dizer "É Gaiman é bom" :D

    Parabens pelo comentário e gostei do novo visual do blog :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Fiacha :D

      O blogue estava a precisar de um toque de Verão :D
      Tens de ler Gaiman amigo Corvo

      beijinhos*

      Eliminar
    2. Olá!
      Ainda só li o Coraline do Neil Gaiman e gostei bastante, e o mais engraçado é que o li já em adulta. Por isso, como vês a idade não interessa para nada, desde que os livros sejam bons e transmitem uma boa mensagem.
      Bjs.
      PallasAthena,
      livreo.blogspot.pt

      Eliminar
    3. Olá Sílvia :D
      Também já o Coraline e apesar de gostar não é dos meus preferidos de Neil Gaiman. O Stardust, O Oceano no Fim do Caminho são melhores :D
      Beijinhos*

      Eliminar
  3. Obrigado pela opinião. Do autor só li o Neverwhere, que tem personagens fantásticas e enredos muito bem conseguidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Neverwhere será o próximo que vou ler dele :D

      Eliminar