segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Cold Mountain- O Regresso do Soldado de Charles Frazier


Ambientado no período da Guerra Civil Americana, O Regresso do Soldado (Cold Mountain) conta-nos a odisseia de Inman (inspirada na história autêntica de um antepassado do autor), um soldado sulista ferido na batalha de Petersburg, que decide desertar e regressar à Carolina do Norte para aí reencontrar a mulher que ama, Ada, persuadido de que ela o espera. Esta certeza permite-lhe atravessar as paisagens devastadas dos Estados confederados e escapar às perseguições das milícias encarregadas de capturar desertores. Por seu lado, Ada, sozinha após a morte do pai, sobrevive como fazendeira em Cold Mountain, uma pequena aldeia da montanha. Ambos afrontam, antes de se reencontrarem, as transformações de um mundo onde lhes cabe agora viver.

Charles Frazier assina uma magnífica história de amor e um soberbo fresco romanesco em que se exprime um impressionante sentido do detalhe. Foram-lhe precisos cinco anos de pesquisas antes de começar a escrever. Mas o incrível sucesso que o romance obteve nos EUA compensaram-no sobejamente.

A MINHA OPINIÃO:

Um livro sublime... que se tornou num dos meus favoritos de sempre. Charles Frazier esmerou-se e criou uma obra que não esquecerei tão cedo. Uma história de amor trespassada pela Guerra Civil Americana atormentada pela fome, pela miséria e pela alma negra dos homens. Mas reduzir este livro a uma história de amor é ser simplista e incorrecto.
Inman, um soldado ferido, atravessa os EUA para regressar a casa, à Ada. Ada, uma mulher que se vê a braços com a miséria e a fome. É socorrida pela pragmática e extrovertida Ruby. Duas mulheres que vão lutar pela sobrevivência num país estilhaçado pela guerra.
A viagem de Inman é atribulada. Perseguido por ser um desertor, faminto e doente é impelido a continuar por um sentimento. Um sentimento mais forte que tudo.O seu amor por Ada. Acompanhei esta jornada épica de Inman e fiquei pasmada com a destruição da guerra. Corrói tudo. Os campos, as cidades e a alma do ser humano...
É um livro difícil de ler. Não é um livro feliz. É trágico, duro, possante e exigente. É daqueles que custa a ler porém, a sua leitura transforma o leitor.
7/7-OBRA-PRIMA
TRAILER DO FILME:

Realizado pelo excelente Anthony Minghella e protagonizado por Jude Law, Nicole Kidman e Renée Zellweger que foi galardoada com o Óscar de Melhor Actriz Secundária.

video

PS: Podem ver outra opinião sobre este livro no Páginas Desfolhadas.

17 comentários:

  1. Hum... eu assisti o filme e detestei...
    O livro é bem melhor??

    beijos,
    Dé...

    ResponderEliminar
  2. Li o livro na altura em que o filme estreou, depois de o ter visto, e adorei. Tornou-se um dos meus favoritos de sempre, pela beleza das palavras e porque nem sempre os finais felizes são os certos ;)

    ResponderEliminar
  3. Quando meu namorado resolveu ver esse filme, eu dormi logo no início. Não sei se eu estava cansada mesmo ou era pq o filme era muito chato...
    Fiquei curiosa com o livro!

    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Oiee...
    Participe da PROMOÇÃO "O Albatroz Azul", uma parceria dos blogs Compartilhando Leituras e Amante dos Livros e Afins. ACESSE JÁ amantedoslivroseafins.blogspot.com e PARTICIPE DESSA PROMOÇÃO IMPERDÍVEL!

    ResponderEliminar
  5. Oii Jojo =D
    Hum... Parece mesmo bom. Não li o livro e nem vi ao filme mas vou preferir o livro ^^

    Bjoo!!

    Cel
    www.umajanelasecreta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. oi querida ..
    naum sou muito fã de livro triste .. mais vou colocar este na minha lista ... bjokasss

    ResponderEliminar
  7. Nossa....esse é bem a minha cara! Acho que eu ia curtir!

    Vai pa lista!

    beijinhos!

    ResponderEliminar
  8. Olá JoJO!

    Temos um selinho para ti!

    bjnhs

    ResponderEliminar
  9. Olá
    Uma visita ao Chuva de Livros e vais descobrir um selinho para este cantinho. "Este blog vale a pena...!!"
    Boas Leituras
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. É um livro que desperta muito o interesse, não somente pelo autor Charles Frazier, mas pelo olhar brilhante (para não dizer no mínimo genial) sobre sentimentos antagônicos em meio ao "deserto" do humano. Muito bom, continue ...

    Abraços Marco

    ResponderEliminar
  11. Olá a todos!...

    Dé,
    se não gostaste do filme, não aconselho a leitura.

    Canochinha,
    é um dos meus favoritos também. Acho que o final embora triste é sensato porque como dizes "às vezes os finais felizes nem sempre são os certos".

    Bia,
    acho melhor leres o livro antes de veres o filme. Mas vou avisando que não é uma estória feliz.

    Cel,
    depois vou ao Janela Secreta conferir a tua opinião:)

    Ludmilla,
    é um livro muito triste mesmo por isso, escolhe bem a altura em que o lês. É de deixar umas lágrimas no canto do olho.

    Carla,
    acho que ias gostar.

    B.,
    obrigada:D

    Marta,
    Obrigada:D

    Marco A.
    Charles Frazier é um mestre com palavras.

    Bjinhos a todos*

    ResponderEliminar
  12. Só conhecia de nome, mas nunca vi nem o filme nem o livro em lado nenhum. Tenho de ter atenção na próxima vez que for a uma livraria. Afinal, se é um dos melhores que já leste...

    Tiago

    PS: Ainda bem que ajudei com o Pinóquio; e da Janeu Austen, acho que o Pride and Prejudice é mesmo a sua obra-prima. :)

    ResponderEliminar
  13. Ola Jojo:)
    Tenho um selinho para ti no meu blog.
    Bjihnos:))))

    ResponderEliminar
  14. Eu só vi o filme e embora o final seja frustrante, adorei. Daqueles filmes que não se esquecem..Também é pelo facto de ter o Jude Law, mas não é só por isso...

    ResponderEliminar
  15. Oi, Jojo!

    Como sempre arrasando na resenha... o livro realmente parece bom!

    bjs

    ResponderEliminar
  16. Oi Jojo, passei para desejar uma boa semana ...

    Abraços Marco

    ResponderEliminar
  17. deve ser um daqueles livros que marcam..... vai para a lista porque para além de me teres cativado com a tua opinião, o tema é interessantíssimo!
    bjinhos

    ResponderEliminar